• comercial@arquiconsult.com
  • (+351) 218 205 610
| sexta, 21 julho 2017 |

4 coisas que os pequenos retalhistas devem considerar quando escolhem um sistema POS

A implementação de um novo sistema POS pode significar um investimento avultado. Em particular, para os pequenos retalhistas, é importante manter os custos fixos num nível baixo, de forma a que seja possível gerar lucro, rapidamente. Ao mesmo tempo mesmo os pequenos retalhistas, para gerirem um negócio de sucesso, precisam de se equipar com soluções inovadoras que suportam um fluxo de trabalho eficiente.

Quando é oportuno escolher uma solução de retalho, os pequenos retalhistas não devem olhar apenas para o sistema POS, mas também para todos os sistemas que precisam estar ligados ao sistema POS, assim como a sua flexibilidade no geral.

Há 4 funcionalidades para as quais os pequenos retalhistas devem olhar quando tencionam escolher um sistema POS, de forma a fazerem a escolha certa.

1. Expansibilidade

Uma das principais vantagens competitivas dos pequenos retalhistas é a hierarquia horizontal e a estrutura corporativa flexível. Os pequenos comerciantes podem reagir, instantaneamente, a mudanças no mercado ou na sua própria estrutura interna. O sistema POS ideal deverá suportar esta agilidade.

No começo da atividade, um pequeno negócio de retalho poderá ter, apenas, algumas lojas, e apenas precisar de funcionalidades básicas; mas, mesmo assim, recomendamos que mantenha um olho no futuro, e escolha um sistema com uma alta flexibilidade e que ofereça várias possibilidades de expansão.

Escolha um sistema que esteja desenhado para o crescimento, e uma vez que decida expandir o negócio, será capaz de adicionar terminais POS a novas lojas, ou implementar novas funcionalidades rapidamente, com um baixo esforço e baixo custo. Se planeia terminar uma implementação num curto período de tempo, é importante trabalhar em estreita coordenação com o seu parceiro de implementação.

2. Uma solução completa com funcionalidades de back-office

Pequenas empresas, muitas vezes, não possuem um sistema de back-office profissional. O inventário, possivelmente, será gerido através do Microsoft Excel.

Este tipo de solução dispersa de software poderá parecer uma boa escolha, porque tem custos iniciais baixos. A longo prazo, contudo, torna-se uma solução muito dispendiosa, porque toda a informação tem de ser integrada e replicada manualmente. Soluções de software como o LS One incluem um sistema de back-office capaz de suportar as necessidades de um pequeno retalhista. Um sistema ERP adicional, que poderá sobrecarregar os pequenos comerciantes, não é necessário. Além disso, com este tipo de implementação para a gestão de inventário, os preços e os itens são bastante eficientes, porque todos estão presentes no mesmo sistema.

3. Uma solução delicada

Começar uma nova jornada é sempre difícil. Para progredir, é necessário dar um passo de cada vez. Dependendo da especificidade da solução, os sistemas POS de hoje oferecem numerosas funções. Muitas delas são úteis, mas não necessariamente ao início. Antes de começar uma implementação de POS, os pequenos retalhistas devem clarificar, de início, que funcionalidades precisam. Uma definição pouco clara dos requisitos pode causar um grande esforço de desenvolvimento para funcionalidades que só serão usadas mais tarde – ou, pior, nunca. Lembre-se, apenas, que no futuro, poderá, sempre, expandir ou reconfigurar o seu sistema POS, se os seus requisitos mudarem ou à medida que a sua empresa cresce.

Uma vez tendo as suas prioridades definidas, o foco ao escolher um sistema POS deverá ser a simplicidade, a velocidade e a flexibilidade em todas as funcionalidades chave.

4. Hardware compacto e mobilidade

Adicionalmente ao software, uma parte substancial dos custos de investimento tem a ver com o hardware. Quando implementa uma nova solução POS, o retalhista deve, também, considerar as despesas para o equipamento de hardware necessário, como um terminal POS, uma impressora de recibos, um monitor, um leitor de códigos de barras, um leitor de cartões, entre outros. E não se esqueça de replicar esta lista de equipamentos por todos os seus terminais POS!

Algumas soluções de software podem, ainda, correr em aparelhos móveis. Isto permite que se equipe com um aparelho mobile standard, com um retail jacket, para o usar como Ponto de Venda. O retail jacket inclui um leitor de código de barras e portas USB para conexão com outros dispositivos, como as impressoras. Este tipo de solução compacta não só mantém os custos de investimento baixos, mas também é flexível e com pensamento no futuro, capacitando os retalhistas para poderem servir o consumidor onde quer que este se encontre na loja. Assim, recomendamos que escolha um software que também ofereça uma solução mobile, porque isto permite que poupe em custos de hardware e ganhe mobilidade.

Texto Original no Blog LS Retail.

Ler 414 vezes Modificado em sexta, 21 julho 2017

Testemunhos